Arquivo para Fé

Vem, vamos pra rua Brasil!

Posted in Cristãos, Jesus, Reflexões with tags , , , , , , , , , , , , , , on junho 19, 2013 by chriskato

Paciência tem limite, já diz o antigo adágio popular…

Vivemos nestes dias um “despertar do sentimento cívico coletivo” e o estopim foram os aumentos das tarifas nos transportes públicos Brasil afora.

Tal “grito de indignação” desencadeou tantos outros sentimentos há muito entalados nas gargantas e corações de muitos.
É qualquer coisa de maravilhoso ver pessoas unidas em prol de um objetivo comum, dispostos a caminhar por horas, gritar a plenos pulmões até a voz se esvair, erguer cartazes, tremular bandeiras, proclamar o amor a pátria, a nossa terra.

É lindo ver tantas pessoas de etnias, religiões, classes sociais tão distintas, caminhando de braços dados, entoando coros em uníssono, bradando por justiça, contra a bandalheira que corre solta entre os que governam nosso país… Lindo mesmo! Eu pelo menos acho.

Em tempos de globalização, de acesso fácil a informação, computadores, smartphones, tablets, todos conectados, através das redes sociais, onde todos se mobilizam, ganham voz, força… Muitos descobriram que esta ferramenta serve muito mais do que apenas para publicar futilidades, textos vazios… É o povo com a “voz amplificada”, de cara pro mundo!

Eu como qualquer cidadão de bem, também não me conformo com o sistema que oprime as maiorias e que privilegia minorias, que serve de trampolim para enriquecer poucos em detrimento da miséria de muitos, muitos mesmo! Também fico perplexo com verdadeiros “Coronéis do Cacau” trajados de parlamentares enriquecerem com os esquemas fraudulentos, superfaturando obras, viajando às custas dos impostos que pagamos, amealhando fortunas em troco da barriga vazia das crianças do nosso Nordeste e demais regiões assoladas pela miséria em nossa Terra Brasilis.

Desde os tempos do Brasil Colônia é que sofremos com as bandalheiras dos “Senhores Feudais” que governam (?) nossa nação. Parece-me até que já é algo cultural, até então, aceito com passividade por todos aqueles que são (eram?) vitimados por tal sistema…

Como descrevi acima, acho muito válido o povo ganhar às ruas, protestar (desde que pacificamente, claro), exigir seus direitos, gritar: “Basta a corrupção!”

Mas o que me deixa um pouco receoso com tanto barulho, é se as pessoas realmente estão convictas dos porquês de estarem indo às ruas, se realmente reconhecem o fundamento de seu engajamento…

Primariamente, todo este movimento se organizou e se originou por conta do aumento de R$0,20 ou R$ 0,30 nas passagens dos transportes coletivos em todo o Brasil… Posteriormente, argumentos a respeito dos gastos bilionários na construção dos estádios para as Copas (das Confederações e do Mundo, essa em 2014), onde é evidente o superfaturamento das obras, também foram levados aos dizeres nos cartazes e nos coros ecoantes, desferidos a plenos pulmões pelos manifestantes.

As perguntas que me vem a cabeça são:

1 – Por que, quando nosso país candidatou-se a sede de ambas as competições (isso sem contar as Olimpíadas de 2016 no Rio), ninguém foi às ruas? Aliás, por que, mesmo depois do Brasil ser anunciado como sede das Copas supracitadas, ninguém indignou-se e foi às ruas? Aliás, no primeiro jogo da Copa das Confederações Fifa Brasil 2013, quando do discursos de abertura da atual “presidenta”, muitos vaiaram-na, mas pergunto: Se esse brasileiros estavam tão indignados com as obras fraudulentas na construção dos estádios e demais questões que envolvem estes eventos, o que eles faziam nas arquibancadas lotadas no Maracanã com Vuvuzelas, bandeirolas e caras pintadas de verde e amarelo? Quanta hipocrisia…

2 – Por que, quando dos aumentos abusivos dos combustíveis foram anunciados (estou falando, não de apenas 1 ano pra cá, mas sim, de reajustes anteriores, em anos anteriores), sabido que a alta dos mesmos geram impactos severos em todos os aspectos de nossas vidas, ninguém organizou movimentos e as ruas não foram invadidas para protestar contra tais abusos?

Essas são as perguntas do momento ecoando em minha cabeça, mas muitas outras tenho a fazer quando reflito a respeito desta situação como um todo.

É no mínimo muito, mas muito estranho, assistir ao partido da ocasião (que sempre fomentou/apoiou protestos, manifestos e é historicamente conhecido por isso) no papel de opressores, enquanto os partidos de oposição (que historicamente são reconhecidos por reprimirem tais atos) estão do lado contrário na atual situação… Temos uma eleição presidencial marcada para o próximo ano… Será coincidência ou o acaso?

Estes “senhores”, distintos parlamentares, o governo, estão acostumados e detém habilidades no jogo da manipulação, de manobrar as massas, de fazer de alienados, seus escudos.

É necessário gritar por justiça sim, mas é necessário reconhecer o teor do que se pleiteia, estar devidamente esclarecido quanto às bandeiras que se ergue e hasteia!

Em minha humilde opinião (não sou senhor de razão alguma!), não adianta fazer tanto barulho neste momento de ânimos sobressaltados, de exaltação do orgulho em ser brasileiro e não se valer da principal arma que temos para mudar definitivamente os rumos desta nação, que é nas urnas, com votos conscientes!

Quantas vezes não presenciei “macacos velhos” da política, metidos nos mais escabrosos escândalos e fraudes, muitos comprovados, voltarem aos cargos públicos depois da “poeira baixar”. Acho que cada um de nós tem uma ou mais histórias deste teor para contar, não é mesmo?

Manifestantes de memória curta, sem responsabilidades cívicas verdadeiras, sem pleitos conscientes, são alvos fáceis nos joguetes malignos dos políticos corruptos!

Portanto, fica o meu apelo. Vamos às urnas com consciência cívica, com fé e com esperança! Desta maneira nosso pleito, nosso manifesto ganha real sentido!!!

Outra questão é: Nosso pleito, como cristãos (eu sou um dos que creem nos ensinamentos do bom mestre de Nazaré, conhecido como Jesus, o Cristo!) tem de ser de cunho social. Explico.

Nos comentários que tenho colhido das pessoas engajadas nas manifestações que tem ocorrido, noto que o teor dos argumentos giram quase sempre em torno do benefício próprio. “Não é justo eu pagar tantos tributos e não me beneficiar!”.

Alguns outros: “Com mais dinheiro no bolso eu poderia trocar de carro, viver melhor a vida, ter acesso a mais bens, viajar mais”.

Nada disso é ilícito, mas para um cristão, não convém que seja assim. Dividir é uma divina e importante lição.

É sabido que nosso país possui riquezas tantas, que havendo uma distribuição de renda mais justa e correta, pessoas teriam mais oportunidades de fato, mas ouso dizer que se não houver compaixão, preocupação com o social, os miseráveis continuarão miseráveis, fruto ainda sim, de corações duros, mesquinhos.

Por que é tão incomum vermos manifestos por àqueles que morrem a míngua no norte/nordeste e demais regiões de nosso vasto Brasil?

E o que dizer de manifestos contra a prostituição infantil e contra o trabalho escravo nos rincões deste país de dimensões continentais? Você os vê com frequência? Eu não!

É preciso manifestar-se contra a corrupção sim, votar com consciência sim, mas desde que o alvo seja sempre o bem estar de todos, não de poucos, caso contrário, a história muda de figuras, mas não de conteúdo.

Jesus Cristo sempre se preocupou com o social, ou seja, com o coletivo, com pessoas. Aliás, deu-se por elas, por amá-las, por entender que o coletivo é o que importa e não o favorecimento de alguns, afinal de contas, Ele se deu por todos àqueles que desejam se entregar a Ele!

Nem mesmo os milagres que fez foram para o favorecimento de alguns. Todo milagre é coletivo. Explico novamente.

Quando nosso Senhor Jesus agraciava alguém com um milagre, tal ato de graça não somente abençoava o alvo do ato miraculoso, mas sim, muitos ao redor. As testemunhas oculares tinham a fé edificada e a esperança renovada e os que apenas ouviam falar dos bondosos atos do Messias eram invadidos por uma alegria contagiante, cientes de que o Deus Conosco (Emanuel) de fato havia chegado a Terra. Portanto, ouso dizer que todo milagre é coletivo, que Cristo pregou a unidade entre todos, deixou lições bem claras de que é preciso viver em comunidade e preocupar-se além de si mesmo.

Tenho certeza de que se pararmos apenas dez minutos para refletirmos, encontraremos pelo menos uns cinco motivos para sairmos às ruas pelo menos uma vez por semana, já que são tantas as misérias e injustiças sociais.

A minha oração é para que deixemos de orbitar apenas em torno de nós mesmos e que possamos aprender mais de Cristo, que nos ensinou que devemos amar uns aos outros como a Ele e a nós mesmos, portanto, devemos sim gritar por justiça, porém, para o benefício de muitos!

O que me alegra é que ao mesmo tempo que converso com pessoas que parecem viver uma alienação, outras, sabem muito bem o que pleiteiam, sabem que o grito de manifesto é coletivo e para o bem estar de todos.

Que Deus nos abençoe com consciência cívica, sabedoria, discernimento. Que Deus abençoe a nação brasileira e seja Ele a nos guiar para tempos melhores.

no amor de Cristo, com fé e consciência cívica.

Chris Kato

Ps: Escrevo este texto também no calor de minhas emoções, na efervescência em que se encontram tantos outros e como alguém que participa deste momento em nosso país, por isso, peço para que me perdoem pela extensão do mesmo. Se você se enxergou nestas palavras, este texto é teu também. Não desejo que ele seja amplificado, compartilhado, mas apenas que gere alguma boa reflexão em você que o lê.

Pastor Antonio Carlos Costa nas ruas do Rio de Janeiro. Pleito em favor de todos, consciente de sua fé e civilidade!

Pastor Antonio Carlos Costa nas ruas do Rio de Janeiro. Pleito em favor de todos, consciente de sua fé e civilidade!

Anúncios

Reflexão – Estar em Cristo

Posted in Jesus, Reflexões with tags , , , , , , , , , , , on setembro 15, 2012 by chriskato

Esta é uma reflexão feita em uma reunião de nosso grupo interdenominacional, realizada na última sexta-feira (14/09/2012), na qual discorremos sobre a necessidade que temos de voltarmos as questões elementares do evangelho, com temas que cremos ser relevantes e que estão caindo em desuso nos sermões de muitos atualmente (pra falar a verdade, há algum tempo, um bom tempo…). Eis o conteúdo base que venho através do blog compartilhá-lo com todos vocês.

Quantas vezes nós já ouvimos cristãos falando e orando desta maneira como se o Senhor não estivesse conosco o tempo todo: Senhor Jesus, venha estar comigo, esteja conosco, ande comigo Senhor…

Mas em Mateus 28: 20 o próprio Senhor Jesus nos relata que estará conosco todos os dias, até a consumação dos séculos, então é uma promessa do próprio Cristo para nós, ou seja, vamos passar para a próxima pauta, pois este é um assunto garantido, encerrado!

A grande questão para que tenhamos uma vida intima e constante com Deus é que nós estejamos n’Ele, no seu filho unigênito, o Cristo e em seu Espírito, que é Santo, pois Ele está conosco o tempo todo, até a consumação dos tempos, assim como prometido no texto acima, encontrado no evangelho de Mateus.

Não há segredos, estratégias ou atalhos.

Para que sejamos mais constantes em nosso caminhar na fé cristã temos mesmo que buscá-lo (“E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração” – Jeremias 29: 13), portanto compreendemos que quanto mais o buscamos, mais o achamos e que quanto mais o achamos, mais nos encontramos n’Ele!

São nossas más escolhas, más ações e nossas rebeliões contra Deus é que nos afastam d’Ele e perceba, nós é que nos afastamos de nosso Senhor e não Ele de nós.

É preciso estar em Cristo (Ele já está conosco, lembra?), permear nosso agir, nosso pensar, nosso falar, nossa percepção das coisas e fatos, bem como perdoar, doar-se, servir, tornar-se humilde, manso e amar o que Ele ama, que são pessoas (1 João 4: 7 ao 21).

O que devemos entender é que nós é que devemos estar n’Ele como o ramo enxertado na videira (João 15: 04) para que assim nós sejamos mais constantes em nossa fé e caminhada cristã.

O fato é que a cristandade em muito de sua totalidade parece estar fora do próprio Cristo, o que é incoerente, pois se o Senhor Jesus quis dizer exatamente o que disse em Mateus 7: 16 ao 20 (pelos frutos os conheceremos), isso é uma constatação verdadeira, pois olhando para nós, existem poucas semelhanças que nos fazem parecidos com o bom mestre.

O desamor de muitos, a sede de poder de outros, o querer um Deus pessoal que apenas serve para “dar coisas”, do Deus que faz prosperar (financeira e materialmente), a perseguição pelo milagre pessoal sem importar-se com o sofrimento do irmão que se assenta ao lado no banco da igreja… Os sinais de que estamos nos afastando de Jesus são evidentes.

Não é preciso apontar uma outra pessoa, basta olhar para dentro de si mesmo.

Cada vez mais tenho a convicção de que é preciso (e com urgência) voltarmos para Deus, voltarmos ao evangelho de Jesus Cristo, estarmos n’Ele para que sejamos coerentes com a fé que professamos e para que realmente sejamos luz e sal para um mundo em trevas e sem sabor.

No amor de Cristo,

Chris Kato

Somos Um!

Posted in Jesus with tags , , , , , , , , , , , , on novembro 9, 2010 by chriskato

Graça e Paz, amados irmãos e irmãs.

Em nosso país a constituição nos garante liberdade de crença (não se sabe até quando, é verdade…), mas como podemos nos sentir confortáveis se nos percebemos e nos entendemos como sendo parte do corpo de Cristo, enquanto membros deste mesmo corpo sofrem assolações e perseguições por amar a Jesus???

Você, meu caro leitor, consegue me explicar isso???

Tenho me engajado na campanha intitulada “Free To Believe” (Livre para Crer), que é uma iniciativa da Missão Portas Abertas Internacional e que visa combater a Resolução da Difamação da Religião.

Esta resolução tem como objetivo tornar aceitável a perseguição religiosa. Originalmente chamada de Difamação do Islã, torna crime ações e palavras consideradas contrárias a uma determinada religião, neste caso, o islamismo.

Existem países em que possuem um estado teocrático e este é o caso dos países denominados islâmicos.

O que é Teocracia?

A Teocracia, a grosso modo, consiste em um sistema de governo em que uma religião interfere diretamente nas ações políticas e jurídicas.

Exemplos de Teocracias:

Vaticano: Regido pela igreja católica

Irã: Regido pelos Aiatolás (Aiatolá significa “Sinais de Alá” e é considerado sob as leis do Islã Xiita o mais alto dignatário na hierarquia religiosa).

Estes países defendem a tal resolução e desejam que a ONU (Nações Unidas) aprove a mesma, alegando que ela protege a prática religiosa e promove a tolerância, quando na verdade, ela promove a intolerância e viola a liberdade religiosa e de expressão, principalmente para as minorias, especialmente os cristãos.

Ao todo, são 57 países que estão por detrás desta resolução que é levantada pela Organização da Conferência Islâmica (OIC), que é uma organização intergovernamental. Nestes países, a maior parte da população é islâmica.

Os países são: Afeganistão, Albânia, Argélia, Azerbaijão, Barein, Bangladesh, Benin, Brunei, Burquina-Faso, Camarões, Chade, Comores, Costa do Marfim, Djibuti, Egito, Gabão, Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissau, Guiana, Indonésia, Irã, Iraque, Jordânia, Cazaquistão, Kuweit, Quirguistão, Líbano, Líbia, Malásia, Maldivas, Mali, Mauritânia, Marrocos, Moçambique, Niger, Nigéria, Oman, Paquistão, Palestina, Catar, Arábia Saudita, Senegal, Serra Leoa, Somália, Sidão, Suriname, Síria, Tadjiquistão, Togo, Tunísia, Turquia, Turcomenistão, Uganda, Emirados Árabes Unidos, Uzbequistão e Iêmen.

A resolução será apresentada à Assembléia das Nações Unidas em dezembro deste ano. Ela foi votada pela primeira vez em 1999 e, desde 2005, é avaliada anualmente.

No início, a resolução teve apoio de muitos países, mas a partir de 2008, o engajamento e apoio vem diminuindo por conta do alto número de votos contra e abstenções, o que significa que muitas nações perceberam o perigo que tal resolução representa.

O esboço da Resolução da Difamação da Religião (Documento A/64/439/Add.2, parte II) foi adotado com 80 votos a favor, 61 contra e 42 abstenções.

Quem Votou a favor, contra ou se absteve:

A Favor:

Afeganistão, Argélia, Angola, Azerbaijão, Barein, Bangladesh, Barbados, Belarus, Butão, Bolívia, Brunei, Camboja, Chade, China, Comores, Congo, Costa do Marfim, Cuba, República Democrática Popular da Coréia, República Democrática do Congo, Djibuti, Domínica, República Dominicana, Egito, El Salvador, Eritréia, Etiópia, Gabão, Guinea, Guiné-Bissau, Guiana, Indonésia, Irã, Iraque, Jordânia, Cazaquistão, Kuweit, Quirguistão, República Popular do Laos, Líbano, Líbia, Malásia, Maldivas, Mali, Mauritânia, Marrocos, Moçambique, Mianmar, Namíbia, Nicarágua, Níger, Nigéria, Oman, Paquistão, Filipinas, Catar, Federação Russa, São Vicente e Granadinas, Arábia Saudita, Senegal,Cingapura, Somália, África do Sul, Sri Lanka, Sudão, Suriname, Suazilândia, Síria, Tadjiquistão, Tailândia, Togo, Tunísia, Turquia, Turcomenistão, Uganda, Emirados Árabes Unidos, Uzbequistão, Venezuela, Vietnã e Iêmen.

Contra:

Andorra, Austrália, Áustria, Bélgica, Bulgária, Canadá, Chile, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Geórgia, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Israel, Itália, Latvia, Listenstaine, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Ilhas Marshall, México, Micronésia (Estados Federais), Mônaco, Montenegro, Nauru, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Palau, Panamá, Papua Nova Guiné, Polônia, Portugal, República da Coréia, República da Moldávia, , Romênia, Santa Lúcia, Samoa, São Marino, Sérvia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suiça, República da Macedônia, Timor Leste, Tonga, Ucrânia, Reino Unido, Estados Unidos, Uruguai e Vanuatu.

Abstenções:

Albânia, Antigua e Barbuda, Argentina, Armênia, Bahamas, Belize, Benin, Bósnia e Herzegovina, Botsuana, Brasil, Burquina Faso, Burundi, Camarões, Cabo Verda, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guine Equatorial, Fiji, Gana, Grenada, Guatemala, Haiti, Honduras, Índia, Jamaica, Japão, Quênia, Lesoto, Libéria, Malawi, Ilhas Maurício, Mongólia, Nepal, Paraguai, Peru, Ruanda, São Cristóvão e Neves, Trindade e Tobago, Tuvalu, Tanzânia e Zâmbia.

Ausentes:

República Central Africana, Gâmbia, Quiribati, Madagascar, São Tomé e Príncipe, Seicheles, Serra Leoa, Ilhas Salomão e Zimbábue.

Milhares de pessoas no mundo tem perdido seu direito de escolha no tocante a religião e fé que desejam exercer e crer, mediante leis restritivas como essa. Os mais perseguidos são os que vivem sob a lei islâmica Sharia.

Resumindo, a Resolução de Difamação da Religião é um duro golpe contra a liberdade religiosa e um enorme pretexto da aceitação internacional para a perseguição.

Vale lembrar que irmãos em Cristo Jesus tem sofrido assolações, perseguições, muitos são obrigados a deixar suas famílias, lares e países de origem para que não sejam presos ou até mesmo MORTOS!!!

A realidade é que enquanto ficamos aqui em nossas igrejas, seguros atrás de nossa de nossa pequenez, mesquinha e totalmente digna de repúdio, irmãos, do mesmo corpo de Cristo, sofrem na carne as consequências de professar a fé em Cristo Jesus, muitas vezes, dando a própria vida em favor da fé N’Ele!

Será que isso não quer nos mostrar algo? Será que isso não quer nos dizer algo?

Vozes clamam por socorro de todas as partes do mundo e muitas vezes, sequer oramos por eles e suas dificuldades.

Será que somos dignos de sermos chamados de Cristãos? Eu acho que não…

Outros termos genéricos nos cabem muito bem, isso sim!

Se nos percebemos em Cristo, se entendemos que SOMOS UM N’ELE, porque então agimos apenas em causa própria e nos esquecemos dos nossos???

Muitos ainda não entederam a mensagem da cruz, não entederam a Cristo e seu evangelho, não entederam o dom da Fé, não entederam a Graça, muitos não entederam quase nada…

Existem pessoas que tem feito a diferença e que tem se levantado para mudar este quadro. Espero que você seja uma dessas pessoas, para a honra e glória D’Ele!

Através do site da Missão Portas Abertas você pode ajudar a reverter essa situação de perseguição, que até o momento encontra nestas leis, legitimidade para perseguir pessoas que apenas desejam expressar a mesma fé que eu e você.
Até o dia 22 de novembro, você pode assinar a petição online ou baixar e preencher o abaixo assinado e enviar para eles, acesse: www.portasabertas.org.br/freetobelieve

Assine a petição online e ajude parte do corpo de Cristo e ter a mesma liberdade que você tem para expressar sua fé: www.portasabertas.org.br/freetobelieve/assine

Mobilizem suas respectivas igrejas, irmãos de outras denominações que não a sua, seus familiares, mesmo aqueles que ainda não compreendem a Cristo. A Missão Portas Abertas Internacional entregará estas assinaturas às Nações Unidas em dezembro deste ano.

Tempos muito mais difíceis virão, isto é bíblico, mas não temos que nos conformar com as coisas deste mundo.

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”
Romanos 12:2

Um grande abraço,

N’Ele, sempre!!!

Chris Kato

Fonte: Revista Portas Abertas

Quanto custa a sua fé?

Posted in mensagens with tags , , , , , , , , , on fevereiro 25, 2010 by chriskato

Há tempos a tal teologia da prosperidade me consome interiormente, por muitas vezes me tirando do sério, sinceramente falando, porém, até o dia de hoje, havia externado minhas opiniões a respeito deste tópico apenas com meus irmãos na Fé e principalmente nos meus íntimos momentos de proveitosas e edificantes conversas com o Senhor. Agora decidi compartilhar este assunto com todos vocês e espero que este post receba manifestações e opiniões de vocês que lêem este artigo.

Há algum tempo atrás eu estava “zapeando” por alguns canais de televisão (e olha que é algo difícil eu sentar para assistir tv, quase não faço isso) e me deparei com um programa de cunho evangélico, destes que passam nas madrugadas, quando notei a presença do norte americano e “macaco velho no segmento gospel” Morris Cerullo, proferindo algumas palavras com tradução simultânea.

Para quem não conhece o Dr.Morris Cerullo, eis uma breve apresentação.

Nascido no ano de 1931, Cerullo afirmar ter tido seu primeiro encontro com Deus na tenra idade, aos 8 anos precisamente falando, ao tentar dar fim a sua vida. Aos 14 anos de idade relata que foi retirado de um orfanato judeu por dois seres angelicais, que o levaram para um refúgio especialmente preparado para ele. Cerca de menos de um ano depois, o então jovem Morris foi transportado ao céu, onde teve um encontro face a face com Deus. Em “The Miracle Book”, escrito pelo próprio, ele descreve Deus como tendo cerca de 1,83 m de altura e o dobro da largura de um corpo humano. Desde então, o evangelista vem rodando o mundo, difundindo a teologia da prosperidade.

Analisando o relato de Cerullo, no qual ele afirma ter visto a Deus face a face, o mesmo é confrontado com a própria palavra de Deus, descrita no evangelho de João, capítulo primeiro, versículo 18, que descreve o seguinte:

“Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou.”

Há outra passagem bíblica que conflita esta mesma afirmação. A primeira carta que Paulo escreveu a Timóteo, no capítulo 6, versículo 16 diz o seguinte:

“Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém.”

Não é no mínimo intrigante confrontar estas passagens bíblicas com os relatos do Sr.Cerullo???

Entre crer na palavra de Deus e na palavra deste evangelista norte americano, não tenham dúvidas de que fico com a palavra do Senhor, que aliás, é por ela que guio o meu viver.

A teologia da prosperidade, conhecida também como confissão de fé, palavra de fé e movimento da fé foi criada nas primeiras décadas do século XX nos Estados Unidos. Esta doutrina afirma, a partir da interpretação de textos como Gênesis 17: 7 (E estabelecerei a minha aliança entre mim e ti e a tua descendência depois de ti em suas gerações, por aliança perpétua, para te ser a ti por Deus, e à tua descendência depois de ti.), Marcos 11: 23-24 (Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito. Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes, orando, crede receber, e tê-las-eis.) e Lucas 11: 9-10 (E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; Porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á.) que aos que são verdadeiramente fiéis a Deus devem desfrutar de excelente situação nas áreas da saúde e principalmente da finança.

O pioneiro deste movimento foi o também norte americano Essek M.Kenyon, tendo como seu maior divulgador Kenneth Hagin, que influenciou a muitos pregadores nos EUA, inclusive o Sr.Cerullo, além de evangelistas renomados como Benny Hinn e o coreano David Paul Yonggi Cho.

Voltemos ao programa de televisão, feitas as breves apresentações sobre o Dr.Morris, bem como no que se baseia a teologia da prosperidade.

Decidi assistir aquele programa (este vídeo está disponível no youtube), pois já conhecia este senhor como sendo um veemente defensor da teologia da prosperidade e fiquei intrigado em saber qual o motivo de sua presença no programa do Pr.Silas.

Percebi que estava sendo lançada a Bíblia de batalha espiritual e vitória financeira de autoria de Cerullo, mas não foi isso que me trouxe algum incômodo e sim o apelo deste “profeta”, no qual ele relata que Deus lhe disse que estava “derramando uma unção financeira nestes últimos dias, como Ele nunca havia feito antes”. Para que tal unção recaísse sobre o povo de Deus, bastava que as pessoas que assistiam ao programa em questão, ofertassem voluntariamente a quantia de R$ 900,00 para que Deus liberasse a “unção financeira dos últimos dias” (??!!!???!!!), para que recebessem da parte do Senhor algo que nunca fora recebido antes.

Logo após ele explica o porquê do número 9. Ele faz menção ao ano de 2009 e por isso do pedido do valor de R$ 900,00. Agora que estamos em 2010, seguindo a linha de raciocínio dele, prepare-se para sacar dez notinhas de cem reais de seu bolso, ok?

Agora eu lhes pergunto, isso não se assemelha a numerologia, considerada por nós cristãos uma prática mística??? É impressionante como muitas igrejas têm permitido a incorporação de absurdos como este.

A cerca de semanas atrás parei novamente em frente da tv para assistir algo que me chamou a atenção, desta vez o programa era apresentado pelo Ap. Valdemiro, convocando 150 mil pessoas a ofertar R$ 153,00, que representavam os 153 grandes peixes, relatados no evangelho de João, capítulo 21, versículo 11, na terceira vez em que Jesus se manifestava aos seus discípulos após a ressurreição. Ao doar o valor acima descrito, o ofertante ganhava uma pequena rede. Em outras ocasiões ele pediu aos fiéis de sua igreja um dízimo de 20%, o que já achei um absurdo. Como se não bastasse, no mês de dezembro passado ele convocou sua igreja a entregar o “dízimo” de 30%, representando a santíssima trindade (o Pai = 10%, o Filho = 10% e o Espírito Santo = 10%, totalizando os 30%). Agora lhes pergunto, dízimo não significa a décima parte??? Isso em meu entendimento é coisa de um néscio, de uma pessoa inepta. Estes vídeos também estão disponíveis no youtube, caso você queira assistí-los.

Entendamos que não falo a cerca de dízimo (sou dizimista em minha igreja e faço-o com muita satisfação e alegria), mas sim, falo de homens e mulheres que pregam um evangelho barato, que barganham com Deus, fazendo do ato de cruz de Jesus Cristo algo tolo e sem valor.

Jesus não veio a nós e se permitiu ser humilhado e morto em uma cruz para que tivéssemos fortunas e conforto e sim para nos provar o seu Amor (com “A” maiúsculo), livrando-nos do pecado e nos reconciliando com Deus.

Assim diz o evangelho de Mateus, capítulo 8, versículo 20:

“E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.”

Ainda em Mateus no capítulo 10, versículo 24, vemos o seguinte:

“Não é o discípulo mais do que o mestre, nem o servo mais do que o seu senhor.”

Vamos aos fatos. Se o filho unigênito de Deus não tinha nem se quer onde recostar sua cabeça para descansar e se o servo não é maior do que o seu Senhor, por qual motivo deveríamos pensar que Deus tem como plano maior em nossas vidas a prosperidade?

Não creio que Deus, como sendo um Pai amoroso e zeloso queira que seus filhos vivam em miséria, mas também creio que sua preocupação principal conosco é que nos arrependamos diariamente de forma verdadeira, para que tenhamos relacionamento com Ele e conseqüentemente assegurarmos nossa salvação (Não sou daqueles que carrega consigo a filosofia de que “uma vez salvo, salvo para sempre”), afinal, ela é conquistada dia após dia.

Os textos bíblicos pregados por estes homens para defender a doutrina da prosperidade são distorcidos, corrompidos, a fim de que seus discursos tenham alguma valia.

Vejamos o exemplo inspirador do apóstolo Paulo, em 2ª Coríntios no capítulo 4, que não falsificava a palavra de Deus, mesmo atribulado não se angustiava, mesmo perplexo não se desanimava, era perseguido, mas não desamparado e por fim, abatido, mas não destruído. Paulo ao contrário de pedir bênçãos para si, desejar ser próspero, era entregue a morte todos os dias por amor a Jesus Cristo, trazendo em seu próprio corpo a vida de Jesus.

E se ao invés de pedirmos a Deus por vitórias nas finanças, barganhando com Ele com nossas ofertas para que tenhamos benefícios próprios, decidamos ofertar para que pessoas famintas tenham o que comer? Por que ao contrário de desejarmos o bem estar pessoal não desejamos que nossas ofertas sirvam para que as boas novas do evangelho de Jesus Cristo alcancem aqueles que ainda não as conhecem? E abrir mão do sonho do carro importado zero quilômetro, da casa na praia com piscina ou mesmo daquela viagem de compras a Paris por alguém que você nem mesmo conhece?

É difícil, não é mesmo? Doar-se pelos que realmente necessitam é bastante  confrontador, abrir mão de sua vida para que outros tenham Vida não algo tão simples assim, não é?

“Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma? Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras.” Mateus 16:24-27

“ E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará. Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Ou, que daria o homem pelo resgate da sua alma? Porquanto, qualquer que, entre esta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos.” Marcos 8: 34-38

Confio minha Fé nestes textos acima descritos. Infelizmente existem muitas (mas muitas mesmo) pessoas que têm vendido sua fé mediante a aceitarem viver um evangelho barato, desejando para si os tesouros deste mundo.

E você, como tem procedido? Seu coração está nas riquezas e prazeres deste mundo ou seu coração encontra prazer em servir ao Senhor, pregando as boas novas aos aflitos e necessitados e fazendo boas obras?

De que adianta você ser dono de posses, de seu celeiro estar cheio até a capacidade máxima enquanto muitos morrem a míngua e sem conhecerem a palavra de Deus?

Se a teologia da prosperidade fosse válida, não haveriam tantos irmãos em Cristo em situação de miséria neste país e em outras partes do mundo. Creio que para estes, Deus tem guardado o melhor. Lembra-se da parábola do Rico e Lázaro? Não? Então leia em Lucas, capítulo 16, do versículo 19 ao 31 e verás que o que escrevi acima possui coerência.

Para terminar, quero deixar-lhes uma mensagem.

Não seja você mais um a ser ludibriado por falsos profetas ou gananciosos de plantão, a fim de que não caias em engano, não permitindo que doutrinas perniciosas comprometam o seu bom relacionamento para com Deus.

Desejo que você prefira carregar sua cruz a desejar os tesouros e prazeres momentâneos e fúteis deste mundo, para a honra e glória dEle!

Obrigado por ler mais este desabafo.

Um grande abraço e que Deus te abençoe.

No amor de Cristo Jesus, sempre!

Chris Kato

2010… Novas Possibilidades??? Só depende de nós!!!

Posted in mensagens with tags , , , , , , on dezembro 31, 2009 by chriskato

Uau, em minha percepção o ano de 2009 passou tão depressa, voou. E ficou a impressão de que fiz tão pouco, quer seja por minha pessoa, pela minha família, amigos, ao próximo, para Deus e pela propagação da mensagem da cruz…

É sempre assim (ou quase sempre), ao findar de cada ano paramos para refletir em tudo o que fizemos ou deixamos de fazer, em todos os âmbitos, quer seja em nossa vida pessoal, familiar, profissional, sentimental, ministerial, etc…

Feitas as reflexões, nos comprometemos com nós mesmos de que tudo será diferente ao término do último dia do ano que está prestes a acabar, renovando as esperanças, as metas, os planos, os compromissos, os sonhos.

Mas bom mesmo seria se pensássemos e repensássemos no que fizemos ou no que deixamos de fazer diariamente e não somente ao findar de cada ano. Creio que desta feita, viveríamos de fato a vida ao invés de apenas passarmos por ela, conformando-nos apenas em “existir”.

Desta maneira, poderíamos reconhecer onde falhamos e assim traçarmos novas diretrizes, o que implica em assumir novos riscos, levar alguns tombos mais, quiçá sofrer cortes e arranhões, mas em contrapartida, também nos é devolvida a possibilidade de acertos, a obtenção de êxito, momentos de verdadeira felicidade e de satisfação própria.

Lembrando que todos aqueles que carregam a bandeira do evangelho estão sim sujeitos a dores, aflições, enfermidades, desilusões, tristezas, lutas, dificuldades, humilhações, desprezo, pois o “servo não é maior do que o seu senhor” (Mateus 10:24) e se o Senhor Jesus sofreu coisas similares ou muito piores (Isaías 53:3), o que há em nós que nos faça isentos de tais coisas??? Mas também existe bem-aventurança para os que estão em Cristo Jesus!

Devemos utilizarmos melhor nosso tempo e recursos a fim de que façamos de 2010 um ano de aprendizado, de acertos e de crescimento na Fé, vivendo um evangelho verdadeiro (e não este evangelho barato que têm sido muitíssimo apregoado por ai…) para que possamos conhecer mais a este Jesus lindo e maravilhoso, que pagou um alto preço para que a mensagem da cruz fosse deixada para trazer-nos vida e vida em abundância (João 10:10) e salvação.

Desejo a nós um ano novo de muitas bênçãos e conquistas, mas também desejo que façamos como a Simão, o Cireneu, que foi escolhido para carregar a cruz de Cristo (Lucas 23:26) a fim de que o sofrimento do cordeiro fosse minimizado por alguns instantes… Mas não somente por este motivo e sim porque ao carregar a cruz de Cristo seremos credenciados a participarmos de sua glória, porém, antes teremos que ser participantes de Sua cruz.

Que nós digamos sim a Cristo, que nós digamos sim a mensagem do evangelho e que vivamos um 2010 repleto da presença do Senhor, em todas as áreas, nos momentos de tribulação e nos momentos de bonança.

Busquemos adquirir o caráter de Jesus, assim, nos tornaremos mais parecidos com Ele e menos parecidos com nós mesmos.

Estes são os meus votos a todos nós para 2010 e até o último fôlego de nossas vidas!

No Amor de Cristo Jesus,

Chris Kato

SIGA EM FRENTE, NÃO DESISTA… CONTINUE CAMINHANDO EM DIREÇÃO A CRUZ. UM 2010 REGADO PELA GRAÇA NOS AGUARDA!!!