Arquivo para Haiti

Seu Deus é cruel? O meu não!!!

Posted in mensagens with tags , , , , , , , on janeiro 21, 2010 by chriskato

Nos últimos dias, os noticiários, jornais, sites, até mesmo rede sociais como  Orkut e Twitter comentam e noticiam sobre a situação catastrófica do Haiti, após o terremoto de 7 graus na escala Richter que atingiu capital do país, Porto Príncipe. Meu Deus, que tamanha tragédia!

A estimativa é que 100 e 200 mil (não se sabe ao certo ainda…) pessoas perderam suas vidas neste triste acontecimento. Pessoas estão gravemente feridas e sem suporte médico adequado, famintas, com sede, com o coração dilacerado pela perda de familiares e amigos, sem um teto para se abrigar, sem alguns membros de seus corpos (muitos são amputados em decorrência dos graves ferimentos), ou seja, a situação é de extrema gravidade.

O mau cheiro pelas ruas beira o insuportável, produto dos corpos em decomposição, os escombros e as marcas do forte abalo estão por toda parte. Gente chorando seus mortos, contendendo por alguma comida e água, atendimento médico… Meu coração encontra-se em imensurável tristeza.

Não é novidade para ninguém (ou pelo menos para as pessoas mais informadas ou com algum senso humanitário) que o Haiti já era um país miserável e de grandes tragédias sociais. O mundo até então (com algumas pouquíssimas exceções) não havia voltado sua atenção para um povo que em sua maioria vive abaixo da linha de pobreza. Quem não tomou conhecimento dos biscoitos de terra, água, sal e um pouco de manteiga ou banha (chamados na língua creoule de “Tê”, também conhecidos como “Peecaa”), assados pelo sol escaldante, que são ingeridos a fim de atenuar a fome dos menos favorecidos?

Entre 177 países, o Haiti ocupa a desonrosa 146ª posição no Ranking do Índice de Desenvolvimento Humano, o IDH, divulgado pelas Nações Unidas. O IDH é a síntese de 04 indicadores: PIB per capita, expectativa de vida, taxa de alfabetização e taxa de matrícula bruta nos três níveis de ensino.

Tenho acompanhado os fatos através da tv e da internet. Li alguns textos de pessoas ligadas ás alas conservadoras do protestantismo que atribuem o ocorrido no Haiti a Deus, através de sua ira, vingança ou juízo, buscando versículos bíblicos para comprovarem suas equivocadas teologias. Alguém escreveu que tal acontecimento era “apenas uma questão de tempo”, pois a mão de Deus teria que pesar sobre um povo incircunciso, praticantes de vodu e idólatras de deuses estranhos. Me contorço todo, respiro fundo, fico inquieto, não acho uma posição confortável na cadeira em que estou assentado neste momento, ao me deparar com tamanha besteira. Tenho vontade de gritar, tamanha minha discordância.

Concordar com isso é o mesmo que alegar que Deus é paradoxal, um “fanfarrão” de mal gosto, que brinca com aqueles a quem chama de filhos. Se isto compreende o amor de Deus por nós, convenhamos, é uma forma um tanto quanto estranha de se amar.

O Deus que conheço não têm prazer em matar, em aniquilar vidas, não é cruel e não age como descrito acima, “pesando sua mão contra os incircuncisos” e pessoas que cometem atos que desagradam seu coração, pois, se assim é, aguarde, sua morte também vai chegar (sim, estou me referindo a você que lê este artigo!) através de uma Tsunami ou de um violento abalo sísmico, pois a palavra de Deus nos revela em Romanos, capítulo 3, versículos 9 e 10, que não há um justo sequer na face da terra, nem mesmo um!

Considerando que o profeta Isaías havia predito em seu livro no capítulo 53, versículo 4, que Jesus verdadeiramente tomou sobre si as nossas dores, não é um tanto quanto intrigante alegar que Deus é quem causa dores nos seus? Por qual razão Ele enviaria o seu tão amado filho (Mateus 3:17) para ser humilhado e ter morte de cruz, por brincadeira?

Não creio nisso! Creio no Deus de Amor, justo sim, mas que não consome os seus (Lamentações 3:22), pois as suas misericórdias não têm fim. É totalmente incompatível alegar que Deus, em sua justiça divina, brinca com o destino dos seres humanos de forma sarcástica enquanto Jesus Cristo prega compaixão. Tentar coadunar ambas as coisas é como querer misturar água e óleo.

Enquanto alguns tentam nos convencer que suas respectivas teologias têm algum fundamento, muitos dos que chamamos de “ímpios” estão enviando mantimentos, se deslocando a fim de oferecer ajuda humanitária às vítimas do terremoto que atingiu Porto Príncipe.

Vale citar o grande exemplo que Zilda Arns Neumann (médica e fundadora da pastoral da criança)  nos deixou. Li em algum lugar aqui mesmo na internet algo assim: “Enquanto Zilda Arns oferecia um prato de comida e perguntava a alguém se ele tinha fome primeiramente, um crente (encaro este como um termo pejorativo nos dias de hoje, tamanhas as besteiras que são feitas e proferidas pelos que assim se intitulam) antes de dar um prato de comida a alguém faminto, perguntaria primeiramente se o mesmo aceitaria a Jesus.”

Não me levem a mal quando digo que o termo “crente” é algo pejorativo, pois, apenas tenho a convicção de que o cristão verdadeiro não faz tantas bobagens e meninices quanto os acima citados.

Por estes dias mesmo tenho visto “crentes” rodando, saracoteando, pulando, dando glórias, aleluias, tentando identificar satanistas infiltrados em suas respectivas igrejas, procurando mensagens subliminares em canções, fazendo festa, enchendo a pança de comida e bebida em comunhões com os irmãos e não separando um momento sequer para, por exemplo, orar por um povo que agoniza há anos, agora ainda mais com a catástrofe ocorrida. Fazem de conta que o problema não lhes diz respeito e dizem que ainda vivem a verdade do evangelho. Tenha dó!!! A palavra de Deus nos ensina em Mateus, capítulo 22, do versículo 37 ao 40, que primeiramente devemos amar a Deus , nosso Senhor, de todo coração, alma e pensamento, sendo este o grande mandamento, porém, o segundo é semelhante ao primeiro, que é: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Resumidamente, quem não ama a Deus não ama ao seu próximo e quem não ama ao seu próximo, não ama a Deus! Citando ainda o versículo 15, do livro de Romanos, capítulo 12, em que o apóstolo Paulo nos ensina sobre o amor, a humildade e a beneficência e que diz o seguinte: “Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram.”

Estou seguro de que muitos choram neste momento, não somente no Haiti, mas em outros países onde a miséria é fato real e o povo ainda não recebeu as boas novas do evangelho do Senhor Jesus Cristo, como por exemplo, os países que compreendem o que alguns chamam de “Janela 10/40″, que consiste em uma faixa de terra que vai do oeste da África até a Ásia, subindo a partir da Linha do Equador, fica entre os graus 10 e 40. São cerca de 62 países e 3,2 bilhões de pessoas que não conhecem a Cristo. Há uma pesquisa que nos revela que de cada 10 pessoas em situação de pobreza no globo terrestre, oito estão nesta região e apenas 8% dos missionários trabalham entre eles. Está aí uma boa dica aqueles que ficam perdendo tempo com este tipo de besteirol teológico. Existem bilhares que necessitam da verdade do evangelho!

Voltando ainda a falar da tragédia ocorrida no Haiti, pode ser que você não tenha condições de se doar como voluntário ou mesmo enviar com container repleto de suprimentos aos que necessitam, mas digo-lhe com extrema convicção de que podes enviar algo valioso a eles, que é a sua oração intercessória. Interceda pelas pessoas que estão se deslocando de suas respectivas nações a fim de minimizar a dor dos haitianos, bem como para que Deus console os que perderam familiares e seus pertences e também para que este povo receba forças para reerguer um país vitimado não somente pelo terremoto ocorrido na semana passada, mas também por conta de nosso descaso.

Agradeço a você, caro amigo(a) que acompanha este simples blog por ler este, que foi um desabafo de um simples homem que procura assimilar os ensinamentos de Cristo, aplicá-los ao dia a dia e que se indigna com o “câncer” que têm se espalhado pelas igrejas através de um evangelho barato e de conveniências.

Um grande abraço e que Deus te abençoe!

No amor de Cristo Jesus,

Chris Kato

Enquanto alguns dos que se dizem "cristãos" se preocupam em discutir teologia, homens simples trabalham no resgate das vítimas.

Milhares de pessoas mortas e "crentes" orando por prosperidade no conforto de suas igrejas.

Retrato do descaso humano: Biscoitos de terra, água, banha e sal para matar a fome, antes que a fome os mate. Está servido?

In memorian. Zilda Arns, exemplo de cristianismo (e ela não era evangélica!), dedicação e amor ao próximo.